São Leopoldo - Rio Grande do Sul - Brasil

Home > seu cão > educação > etiqueta

Etiqueta canina e Gafes

Se queremos sobreviver na sociedade humana, deveríamos obedecer certas regras, como usar roupa adequada, vestir sempre certas partes do corpo, não comer crianças e respeitar pelo menos os mais fortes, etc. Entre os brasileiros existem certas etiquetas. Devemos falar toda hora "com licença" e "desculpe", desejamos um "bom dia" e perguntamos "como vai?", damos abraços e apertamos mãos, sorrimos e mostramos o polegar para cima e todos entendem estes gestos. Todos sabemos que no relacionamento entre seres humanos podem ocorrer constrangimentos e até conflitos. Roupa branca num enterro: Em um pais é indicada, num outro é quase uma ofensa. Chapéu num café: O que é considerado elegante para uma senhora, para um homem é falta de educação. E o comportamento depende da moda: antigamente era um horror cortar batatas com a faca, hoje é permitido etc. - Se entre seres humanos o comportamento pode causar até conflitos internacionais, tanto mais pode dar problemas entre humanos e animais! Vamos ver:

Beijos

O primeiro carinho para um cão estranho

Existem pessoas que beijam os seus cães. Gosto não se discute. Normalmente sobrevivem os dois sem doenças graves. Mas o que entende o cão beijado? Cães também se "beijam", mas o sentido é um outro. Cães vivem numa hierarquia rígida. O chefe deles deve ser "beijado", significa lamber a boca dele para expressar o reconhecimento de seu governo. E se nós beijamos a boca da nossa fera, comunicamos que ele é o nosso chefe. Então podemos beijar o bichinho à vontade, desde que não esperemos obediência alguma.

Um dia vou descobrir por que todas as pessoas querem dar carinho em cima da cabeça do cão. Principalmente na primeira vez devemos dar carinho embaixo do queixo dele. Se ele mudar de idéia e quiser atacar, podemos retirar a mão sem perigo. Mas, mais tarde também, todos os cães gostam de carinho na garganta (lado de fora). Podemos dar carinho no corpo todo do cão, da cabeça até a ponta do rabinho, na barriga, nas patas e atrás das orelhas.

O cão vaidoso

Os olhos do cão são o nariz

Quero falar de perfume. Gosto, novamente, não se discute! O que é um sonho de cheiro para nós, para o nosso cão é simplesmente um horror. E vice-versa. Existem cães que gostam de perfumes, tanto machos como fêmeas. Eles usam estes perfumes ao lado do pescoço e sentem-se realmente bem arrumados e andam bem orgulhosos. Só que ao nosso nariz esse perfume não agrada, pois o cãozinho querido se perfumou num lugar onde certamente antes um outro ser vivo, de preferência um ser humano, deixou os restos de sua digestão. Precisamos de muito tato e diplomacia para ensinar o cão que o nosso gosto é diferente. Já vimos que o nariz do cão é muito importante. O que imagina um cão que nos observa lendo um livro? Horas e horas ficamos olhando um pedaço de papel que nem cheiro interessante tem. Muitas pessoas não compreendem o seu cão, que fica horas cheirando um poste de luz. Mas é a mesma coisa! Este poste de luz, uma árvore, um pedaço de terra são cheios de cheiros. O cão sabe de repente, que aquele nojento do outro lado da rua estava aqui, que a pequena com fitinhas está no cio e que o peludo preto passou por aqui, pouco antes dele. Então ele levanta a perna e com poucas gotas trata de "escrever sua mensagem".

A carteira de identidade

A mão que oferece a comida...... ou um cão não é materialista!

"Prazer em conhecê-lo", e uma nova pessoa entra em nossa vida. Logo sabemos o tamanho, a cor do cabelo, idade, se é casada, tem filhos, onde mora, e nem o tamanho do contracheque é segredo por muito tempo. Nós classificamos esta pessoa. - Os cães nos classificam também. O que vale é o cheiro. Nosso cheiro mais típico se encontra em lugares que até na praia ficam encobertos. O cão comportado pede a nossa "carteira de identidade" que se encontra nas palmas das nossas mãos. Para um cão estranho mostramos então a palma da mão e deixamos cheirar. Neste momento observamos o bichinho: se ele levanta os pêlos na nuca, põe as orelhas para trás, mostra os dentes e começa a rosnar, então tiramos a mão lentamente, antes que ele possa carimbar a identidade. Se nada disso acontecer, que bom, então vamos lhe dar carinho.

Faz diferença QUEM dá comida para o cão? Nossa experiência com dezenas de cães nos ensinou que para os cães tanto faz, quem os alimenta pode ser uma fada milagrosa ou um criminoso, o responsável mesmo ou um vizinho. A pessoa mais importante para o nosso cão é esta pessoa que... adivinhem!... fala com eles e leva-os para passear. Inúmeras experiências com os nossos cães sempre mostraram a mesma coisa: quem oferece comida não vale nada em comparação com a pessoa que oferece compreensão e amor.

Cientistas aprenderam isso com um chimpanzé. Eles tinham dado para o bichinho um esqueleto de metal com uma mamadeira e uma imitação de uma mãe-chimpanzé com pêlo mas sem mamadeira. O coitado ficou abraçado com a falsa mãe peluda, pronto para morrer de fome, pois nem de longe quis procurar a mamadeira naquela coisa fria e dura.