São Leopoldo - Rio Grande do Sul - Brasil

Home > seu cão > educação > treinamento > comandos úteis

Comandos Úteis

Em algumas cidades existem treinamentos de agility. Os cães devem enfrentar diversos obstáculos e o humano guia o animal somente pela voz. Guia e coleira não são permitido nas provas. Para cães inteligentes independentes, tanto faz, se têm raça ou não, o agility apresenta uma forma maravilhosa de colaboração canino-humana.

Buscar objetos

Para exercitar o nosso cão podemos ensiná-lo a buscar coisas. Primeiro devemos ensinar os comandos "segure" e "solte". Se ele pega um pedaço de pau ou um brinquedo na boca, falamos "segure" segurando a boca dele para evitar que ele solte o objeto. Se funcionar, elogios, se não funcionar, paciência. Tentamos de novo. Claro, para não machucar os dentes dele, é proibido usar pedras ou coisas duras! Depois de alguns segundos mandamos "solte". Seguramos o cão na coleira para não fugir com o seu troféu e tentamos tirar o objeto da boca dele. Funcionou? Elogios! "Segure" e "solte". Mais uma vez.

Logo deixamos cair a coisa em frente dele. "Segure". Se ele pega, festa! Se não, mostramos para ele e podemos até colocar na boca dele. Mais uma vez. Quando ele pega sozinho, jogamos um metro mais longe. Deu? Mais um metro... Ele vai talvez pegar a "presa" e tentar fugir. É bem normal. Quem quer dividir seu "salário" com o chefe? Por isso, ele fica na guia. Aos poucos usamos a palavra "busque". Jogamos a coisa mais longe e puxamos o cão suavemente em nossa direção. "Solte". Deu? Petisco, carinho, elogios.. O cão normalmente gosta destas exercícios e tem bem mais fôlego de que nós. Daqui ao pouco podemos jogar pauzinhos o dia todo, vamos escolher barrancos para ele se cansar mais rápido e inventar mais obstáculos para o bem do nosso braço. Procurar objetos e pessoas

Um cão treinado para procurar pessoas, animais ou objetos pode até salvar uma vida. Minha cadela achou as nossas ovelhas que tinham se perdido alguns quilômetros da nossa casa. O cão tem um faro maravilhoso! O que para nossa curiosidade significa um jornal, é uma árvore, um poste para o nosso amigo. Ele tira informações do invisível que nem imaginamos! Podemos dizer, que usar o faro, é uma das tarefas prediletas dele. E é tão fácil treinar um cão a partir de oito meses de idade para "ler" rastros!

Escolhemos um terreno onde ninguém hoje ainda pisou, de preferência um terreno gramado, melhor ainda com orvalho. Na areia e no asfalto o cheiro não se fixa muito bem. Se ainda o cheiro se mistura com outros cheiros, é muito difícil para um cão, ainda mais para um iniciante, farejar alguma coisa. Levamos um petisco de cheiro forte. Amarramos o cão e caminhamos alguns metros. Jogamos uma parte do petisco no chão e pisoteamos bem com os pés numa área de 50 cm por 50 cm. Os nossos pés "perfumadas" não saem do chão e caminhamos arrastando os pés bem lento (como um velho mendigo) mais um metro. Lá deixamos cair o petisco (cuidado, um outro cão está solto por perto?) e saímos a passos bem largos numa grande volta em direção ao nosso amigo.

Levamos o cão ao lugar onde pisoteamos bem o petisco. Colocamos o nariz dele no chão e mandamos "procure!". Cuidamos através da guia para que ele fique no caminho certo. No momento em que ele achou a pista com o nariz podemos dar corda. Ele vai achar o petisco um metro mais adiante. O mal-educado comilão vai devorar o petisco na hora. O aristocrata pergunta antes de pegar. Seu cão é aristocrata? Parabéns, ele faz parte de um grupo de 0,00001% dos cães! Se não, o que há de errado em ser normal?

Ou ele não se interessou? Ele não estava com fome? Ele come demais? Ele está doente? Está muito quente hoje? Há ruídos ou outros animais por perto? O que tirou a atenção dele? Ele é muito brincalhão? Tentamos num outro dia. - - - Cuidado: Se um animal come freqüentamente comida bem quente, ele perde o seu faro!

Aos poucos vamos prolongar o trecho, caminhar até com passos normais, fazer ângulos retos nos trechos, "perder" coisas no caminho etc. Cuidado: farejar cansa muito o cão. Nunca devemos sobrecarregar o nosso amigo. Importante é que todos, os cães e os humanos gostem desta forma de trabalho.