São Leopoldo - Rio Grande do Sul - Brasil

Home > seu cão > educação > treinamento > andar junto

"Junto"

Pode ser aprendido a partir de doze semanas de idade

Nós, humanos no Brasil, gostamos de caminhar um ao lado do outro para conversar. Os árabes caminham dois metros à frente de suas mulheres. Os lobos caminham em fila indiana. O nosso cão quer caminhar atrás ou à nossa frente. Mas um cão educado, que serve para guarda, deve caminhar ao nosso lado sem puxar na guia. (Em troca vamos conversar com ele!)

Mais ridículo é somente a coleira de espinhos!

Um cão que puxa a guia não é somente indisciplinado ou incomodativo, ele ainda machuca a sua própria espinha dorsal e deve aprender como andar junto. Primeiro na guia, depois sem guia. Colocamos coleira e guia e mandamos o cão se sentar ao nosso lado esquerdo. Por quê esquerdo? Pois é! Em todas as provas de obediência no mundo, os cães andam a esquerda.

A diferença está sempre na educação!

Antigamente, somente cavalheiros guiavam cães, as damas seguravam os cãezinhos no colo. Como a dama sempre andava à direita do cavalheiro, o cão ficava ao lado oposto dela, do lado do coração. Na verdade, muitos cavalheiros gostavam mais dos seus cães do que das damas. E hoje, as damas guiam os cães também pelo lado esquerdo. Mas existem pessoas que preferem o outro lado. Não tem problema se todas as pessoas treinarem o mesmo cão no mesmo lado!

Um dono educado merece um cão educado

O ideal será que o cão ande ao nosso lado e a guia forme um "U', pendendo na altura dos nossos joelhos. A nossa esquerda dá carinho ao cão, enquanto as dianteiras dele se encontram alinhadas com os nossos pés. Uma guia reta significa que o cão puxa.

Escolhemos um lugar onde existe um muro ou uma cerca. Mandamos o cão sentar entre esse muro (ou cerca) e nós, ao nosso lado. Pegamos a guia na mão direita, para ter a esquerda livre para o cão, falamos "junto". No mesmo momento começamos a caminhar. Fracasso. O cão puxa para frente, para trás, pula em nós, etc. Calma!. Não deixe o cão puxar!

Quando ele começa a puxar, pode-se
1. Dar uma puxada breve e forte para trás, mandando "junto!".
2. Usar o outro lado da guia como hélice vertical em frente ao nariz dele. Ele vai ficar do seu lado. A sua esquerda dá carinho, a direita faz um "helicóptero" vertical e você manda "junto". Não é fácil, deve ser treinado, mas depois o sucesso é garantido!
3. Virar-se para a esquerda (se não há mais muro ou cerca!), empurrando ("atropelando") o cão com o joelho, que normalmente se assusta. Desculpe-se e continue.
4. Se virar e caminhar para a direita e puxar breve e fortemente a guia, falando "junto".

Mais problemático é o cão que fica atrás. Ele tem medo e prefere ficar num lugar seguro.

1. Pode-se encorajar o cão, mostrar um petisco, falar bem suavemente com ele.

2. Se você começar correr e ele for atrás, significa quase uma vitória. Tente usar de astúcia e o cão andará ao seu lado, então elogie-o em abundância.

3. Um cão desinteressado pode levar as coisas a sério se nós puxamos a guia bruscamente com o joelho esquerdo (lembre-se, a guia está em forma de "U" bem em frente ao seu joelho!).

4. Um cão totalmente desinteressado fica cheirando o chão e não quer nada com nada. Deixe-o cheirar um tempinho e tente de novo. Se nada adiantar, procure um outro lugar para treinar onde não existam cheiros tão fortes.

5. O cão que pula sem parar, morde nossa mão e é feliz da vida, geralmente é muito novo e/ou saiu do canil agora mesmo. Podemos deixar ele correr um pouco. Quando ele voltar para a guia, caminhamos um trecho com ele, sem dar comandos. Cada vez que ele caminha ao nosso lado esquerdo, pode ser por engano ou por coincidência, devemos elogiar o cão. Aos poucos ele se acalma e podemos trabalhar mais seriamente.

Não devemos levar este trabalho a sério demais! O treinador profissional tem que mostrar sucesso para sobreviver, mas nós temos tempo. A vida de um cão dura tanto, que podemos continuar amanhã.

Me lembro de um caso de um Dobermann de seis meses. Ele somente pulava e mordia de brincadeira. Pedi para o responsável caminhar cada dia um quarteirão com ele na guia, sem se esforçar demais. Uma semana mais tarde, o cão já se comportava muito bem, andava junto, sentava, passou a ficar alegre e gostar do trabalho.

O comando "junto" deve ser treinado diariamente. Caminhar faz bem para sua saúde! Aos poucos ele vai se acostumar. Em caminhadas prolongadas é fundamental que o cão tenha a permissão de "ler jornal", significa, cheirar as árvores ou postes de luz. É importantíssimo para ele! Ele precisa de um tempinho para andar solto no seu ritmo. Nunca puxe na guia, quando o cão levanta a perna ou quer fazer "negócios sólidos".

Quando ele anda bem calmo do seu lado, você pode começar a dobrar para a direita. Seu joelho esquerdo puxa levemente a guia, que forma um "U", fala-se "junto" e caminha-se para a direita. Pode-se caminhar uns metros e virar de novo para a direita.

Na próxima aula pode-se repetir isso e caminhar para a esquerda, empurrando o cão para o lado esquerdo, falando "junto". Daqui para frente pode-se caminhar em ziquezaque. Cada vez que você parar, mande o cão sentar. Continuando a caminhada, mande "junto".

Vai demorar algumas semanas até que tudo funcione bem. Agora escolhemos um lugar, onde não há perigo para o cão, nem para pessoas. Aqui treinamos andar junto sem guia. Primeiro vamos fixar além da guia normal uma cordinha de nylon bem leve na coleira. Andamos juntos. De repente soltamos a guia da coleira num modo demonstrativo que o cão deve perceber e mandamos "junto". Caso ele tente começar a correr, devemos segurá-lo com a corda e repreendê-lo. Começamos de novo com a guia. Tentamos tudo de novo até conseguir. Logo podemos guardar a corda e a guia para situações críticas.