São Leopoldo - Rio Grande do Sul - Brasil

Home > seu cão > educação > cuidados > parasitas

Bernes

Pulgas

Um capítulo pouco apetitoso, mas necessário. No Brasil existem bernes que maltratam e enfraquecem os animais. Bernes são larvas de uma mosca e atingem o tamanho de um dedo mínimo. Eles ocorrem principalmente na primavera, embaixo da pele dos animais (e às vezes, dos humanos!). Descobrimos ele por um pequeno calombo que aparece na pele e que tem um orifício. Neste orifício podemos observar algum movimento leve, como se algum bicho quisesse entrar e sair.

Quando isso ocorre pedimos a uma pessoa para segurar e consolar o cão e esprememos o berne para fora do buraquinho. Dependo do tamanho do berne, pode ser difícil. O berne mais maduro sai com mais facilidade, o novinho às vezes se fixa mais forte e profundamente. Pode acontecer do cão querer nos morder mas se deixarmos o berne ficar, ele vai crescer e sair para criar milhares de outros bernes. O buraquinho pode passar a ser então habitado por outros bichinhos. Por isso, quando o berne saiu ou foi retirado injetamos um pouco de álcool com iodo no buraquinho.

Algumas pessoas costumam usar "azulão" ao invés de tirar o berne. O "azulão" faz que o pequeno orifício se fecha e o berne morre. Muito mais tarde então sai o berne de uma inflamação, provocando dores e sujeiras, se não problemas maiores. Outros pessoas juram, que esterco, óleo queimado ou outras barbaridades são receitas santas e infalíveis. Por favor, nosso cão não merece a receita de um fulano de tal, mas de um veterinário!

Um cão que vive isolado no vigésimo quinto andar não tem pulgas. Outros têm, alguns mais, alguns menos, mas têm. Descobrimos que cães adultos e saudáveis quase não têm pulgas. Doentes ou filhotes são o alvo preferido dos parasitas. Existem sprays, cremes, sabonetes etc. para combater pulgas, mas quando o cão sai para brincar com os seus amigos, tudo começa de novo. O cão saudável não se sente atingido e se coça bem pouco. Algumas pulgas não significam uma catástrofe, mas logo elas aparecem em excesso, devemos procurar um veterinário. Ele nos receita um remédio que livra os nossos amigos dos inquilinos por muito tempo.

Bicheiras

Sarna

Muitas vezes uma bicheira feia começa com um buraquinho de um berne ou uma ferida não tratada. As moscas deixam seus ovinhos brancos neste lugar e alguns dias depois saem as larvinhas, se instalando na pele do nosso cão, comendo a carne dele, chupando seu sangue e enfraquecendo o coitado. Se não nos cuidarmos, pode se formar um buraco grande e profundo. Já vimos buracos destes do tamanho de um punho! Podemos usar uma pinça e um balde de água para tirar e afogar as larvas. Quando limpo, colocamos uma pomada, receitada por nosso veterinário. Mas melhor, visitar logo o veterinário para evitar inflamações.

Um cão apareceu na rua peladinho. Quis pegá-lo para levar para casa. Todas as pessoas ao meu redor diziam: "Este animal está doente, não põe a mão nele! A doença vai pegar!" Não dei ouvidos peguei o bichinho e levei-o para casa. Para os outros cães não pegarem estas parasitas, ele ficou separado. Até humanos podem pegar sarna, infelizmente. Mas hoje em dia existem produtos maravilhosos para combater os bichinhos em baixo da pele. Em nosso canil foram curados dezenas de sarnentos. Seu veterinário sabe o remédio certo para o seu animal.

 Bicho de pé

Carrapatos

Em vários lugares aparecem estes bichos, que também atacam os humanos. Fazemos uma mistura de querosene com água em partes iguais. Pulverizamos todos os lugares por onde os cães circulam, de preferência chão de areia e as casinhas deles para matar ovos e pupas. Deve ser atingida uma área o maior possível. Os bichos de pé devem ser extraídos do animal por um veterinário.

Estes bichos atacam principalmente em lugares com mato alto. Eles são bem pequenos, se instalam na pele do nosso bichinho, chupam sangue e crescem rápido. Eles transmitem doenças e podem enfraquecer os animais. Colocamos uma gotinha de óleo de cozinha em cima deles, para que não possam respirar mais. Então pegamos uma pinça e tiramos este parasita de forma a virar a pinça, puxando. Assim podemos tirar também a cabeça dele. Se a cabeça ficar na pele, o lugar pode inflamar. Se o nosso animal é infestado por carrapatos, devemos procurar um veterinário para combater as parasitas quimicamente.